Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental

São Paulo, 19 de novembro de 2017

Diretoria > Relatório da Diretoria 2010-2012



Relatório de atividades – 2010 – 2012.

 

Desde o IV Congresso Internacional de Psicopatologia Fundamental e X Congresso Brasileiro de Psicopatologia Fundamental realizado em Curitiba, em setembro de 2010, a Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental realizou uma série de atividades visando assegurar sua crescente relevância e visibilidade no cenário científico nacional e internacional.

 

O objetivo dessas atividades visa consolidar a Psicopatologia Fundamental como disciplina científica e assegurar um lugar de destaque nesses cenários, através da crescente importância qualitativa dos trabalhos de pesquisas científicas realizados por seus membros, com o apoio da AUPPF.


1. Filiação

 

Nos últimos dois anos, o número de membros da AUPPF aumentou de 57 para 66. Considerando-se que a filiação é voluntária e restrita a professores universitários doutores, esse acréscimo é notável.

 

No plano nacional, o número de representantes de diferentes universidades aumentou, contando, hoje, com 27 universidades brasileiras.

 

O ingresso do Prof. Dr. Francisco Pizarro Obaid, da Universidad Diego Portales, do Chile, ampliou a abrangência internacional, contando, atualmente, com membros da Argentina, do Brasil, do Chile, da Colômbia, da França, da Inglaterra (Reino Unido), do México e de Portugal.

 

A política de ampliação do quadro de membros conta com o cuidadoso trabalho da Comissão de Seleção da AUPPF e vem ocorrendo de maneira paulatina e constante. Nas solicitações de ingresso leva-se sempre em consideração a qualidade do trabalho científico, o interesse pela Psicopatologia Fundamental e a disposição para a colaboração com os projetos de iniciativa da AUPPF.

 

O aumento no quadro de sócios é sinal, também da crescente importância de nossa Associação. Fazer parte dela agrega trabalho e prestígio a seus membros.

 

No próximo período de dois anos, esperamos um crescimento tanto nacional quanto internacional de solicitações de filiação.

 

A expansão e o aperfeiçoamento do pessoal de nível superior no Brasil e a almejada internacionalização da Psicopatologia Fundamental afetarão esse processo. É claro, entretanto, que ele dependerá principalmente da já reconhecida qualidade de nossa produção científica. Aliás, esse é o grande desafio que temos pela frente.

 

A qualidade de nossa produção depende, entre outras coisas, de um cuidado com a originalidade e relevância dos problemas de investigação, um crescente rigor metodológico e uma capacidade de pensamento capaz de superar nossas próprias convicções decorrentes da formação teórica recebida.

 

Precisamos pesquisar e conversar sobre a qualidade de nossos trabalhos e deixar de lado a preocupação com a produção para o relatório CAPES e o cv Lattes. Isso deve ser uma consequência de nosso trabalho. Sua qualidade implica numa capacidade de influência em outros trabalhos. Precisamos escrever para sermos lidos e para influenciar o pensamento de outros, nossos leitores.


2. Pesquisa

 

Nestes dois anos (2010 – 2012) a AUPPF formulou, pela primeira vez, projetos de pesquisa de sua própria iniciativa, sempre articulados às universidades de seus autores.

 

Essa é uma atividade que deve se ampliar e aprofundar nos anos vindouros.

 

Atualmente, são os seguintes projetos em andamento:

 

2.1. O método clínico

 

O projeto de pesquisa sobre o método clínico é temático e teve início no Colóquio Internacional sobre o Método Clínico, realizado em São Paulo, em setembro de 2009. Ele é coordenado por Manoel Tosta Berlinck, em co-autoria com Ana Maria Rudge e recebeu um auxílio do CNPq (número 4550688130875149; Solicitante: Manoel Tosta Berlinck; Edital/Chamada: Edital MCT/CNPq/MEC/CAPES no. 02/2010 – Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas; Valor recebido: R$ 13.000,00). Gerou os seguintes projetos de pesquisadores associados:

 

- Helena Maria Melo Dias. “Estudo teórico-clínico dos conceitos de contratransferência e enquadre analítico na psicoterapia de orientação psicanalítica às usuárias internas nas enfermarias de um hospital público universitário”.

 

- Ana Cristina Costa de Figueiredo. “A construção do caso como dispositivo clínico e formador para o trabalho em equipe na saúde mental”.

 

- David Borges Florsheim. “A “objetividade” do conhecimento na Psicopatologia”. (Mestrado)

 

- Aline Cerdoura Garjaka. “Um estudo sobre a noção de ‘trabalho’ {Arbeit} na obra de Sigmund Freud”. (Mestrado).

 

- Ana Cecília Magtaz e Manoel Tosta Berlinck. “O caso clínico como fundamento da pesquisa em Psicopatologia Fundamental”.

 

- Larissa de Figueiredo Rolemberg Mendonça. “A clínica da escuta: reflexões sobre a função do diagnóstico em psicanálise”. (Mestrado).

 

- Ana Cleide Guedes Moreira. “Dispositivos clínicos em hospital geral”.

 

- Silvana Rabello. “O método clínico na detecção precoce de psicopatologias graves”.

 

- Maria Lucrecia Rovaletti. “Hechos y valores, historia y narrativas. La perspectiva hermenêutica en el campo “Psi””.

 

- Ana Maria Rudge. “Destinos do método clínico na contemporaneidade.”

 

O auxílio será concluído no segundo semestre de 2012. Porém, como a investigação está longe de ser concluída, deverá gerar um novo pedido de auxílio.

 

2.2. Melancolia/mania

 

No início de 2012, um projeto denominado A melancolia e suas manifestações segundo a Psicopatologia Fundamental” foi submetido ao CNPq por Manoel Tosta Berlinck. Ele não foi aprovado, pois apresentava diversos defeitos.

 

Dada a importância do tema, ele será revisto e será novamente submetido àquela agência de fomento.

 

2.3.  Editoração de revistas científicas

 

Este projeto reúne editores de uma série de revistas que são membros da AUPPF e visa melhorar a qualidade desses periódicos.

 

Os editores e as revistas são as seguintes:

 

- Manoel Tosta Berlinck – Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental.

 

- Ana Maria Rudge – Tempo Psicanalítico.

 

- Betty Bernardo Fuks – Trivium.

 

- Henrique Figueiredo Carneiro – Mal-Estar e Subjetividade.

 

- Leda Bernardino – Revista da Associação Psicanalítica de Curitiba.

 

- Maria Cristina Kupfer – Estilos da Clínica.

 

- Tania Coelho dos Santos – ASEPHallus

 

- Vera Lopes Besset – Arquivos Brasileiros de Psicologia.

 

- German E. Berrios – History of Psychiatry

 

Este projeto teve início neste ano e deverá ser escrito brevemente.

 

2.4. Plataforma de Psicopatologia Fundamental

 

Finalmente, um quarto projeto denominado “Plataforma de Psicopatologia Fundamental” está em andamento, com recursos da AUPPF e conta com trabalho de bolsistas do CNPq.

 

É importante notar que esses projetos são de iniciativa da AUPPF e contam com o apoio do CNPq. Há, pois, um reconhecimento daquela agência de fomento científico da legitimidade e importância de nossa Associação.

 

3.  Transmissão

 

Recentemente a Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental (AUPPF) foi credenciada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do governo do Brasil para receber bolsas de Iniciação Científica e pretende apresentar solicitação no próximo semestre (2o. semestre de 2012) com vigência início no 1o. semestre de 2013.

 

Bolsas de PIBIC destinam-se a estudantes de graduação cursando até o 3o. ano e têm duração de dois semestres letivos. O valor atual da bolsa é de R$ 360,00 (trezentos e sessenta reais) por mês. A AUPPF tem condições de suplementar a bolsa com R$ 140,00 (cento e quarenta reais), perfazendo, assim, R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês.

 

Atualmente, a AUPPF oferece bolsas nas seguintes áreas de pesquisa:

 

                1. Editoração científica;

                2. Método Clínico;

                3. Melancolia.

 

Esses temas são os que estão com projetos aprovados ou em análise pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do governo do Brasil, tendo sido solicitadas pela AUPPF.

 

Especificação:

 

Editoração científica

 

Projetos visando familiarizar estudantes com aspectos da editoração científica. Os projetos devem se referir a a) originalidade de um artigo científico; b) plágio; c) conflito de interesse; d) divulgação e índice de impacto; e) "peer review".

 

Outros temas sobre editoração serão considerados mediante projetos de pesquisa.


Método clínico

 

Projetos visam familiarizar estudantes com a natureza do método clínico. Dar-se-á preferência a projetos sobre: a) o que é o método clínico? Quais as suas especificidades em relação aos outros métodos científicos? b) o caso clínico como fundamento do método. O que é o caso clínico? c) compreensão e explicação; d) a "objetividade" do método clínico que leva em consideração a subjetividade.

 

Outros temas sobre o método clínico serão considerados mediante projetos de pesquisa.


Melancolia/mania

  

Projetos com este tema visam familiarizar estudantes com a natureza da melancolia. Dar-se-á preferência a projetos sobre: a) narcisismo primitivo (Ursprünglich); b) sexualidade oral e seus distúrbios; c) o infantil.

 

Outros temas sobre a melancolia serão considerados mediante projetos de pesquisa.

 

Observações importantes

 

- O projeto deve ser escrito pelo estudante, sob orientação de um membro da AUPPF e deve ser apresentados com o histórico escolar;

 

- Projetos devem ser encaminhados até 15 de julho de 2012;

 

- O prazo para a apresentação de projetos fica prorrogado até 15 de agosto;

 

- A coordenação deste projeto está a cargo do Prof. Dr. Sérgio de Gouvêa Franco.

 

- A AUPPF coloca à disposição do bolsista sua sede, sua biblioteca e os equipamentos aí existentes.

 

A transmissão da Psicopatologia Fundamental para as novas gerações de estudantes é da maior importância. A sobrevivência da Psicopatologia Fundamental depende dessa transmissão e a AUPPF vem trabalhando nesse sentido tanto nos Congressos quanto na Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental.

 

A partir de 2013, a AUPPF buscará recursos para conceder bolsas de Mestrado e de Doutorado, aumentando, assim, sua capacidade de transmissão.


Difusão

 

A difusão da Psicopatologia Fundamental ocorre pelos seguintes meios:


Newsletter

 

A Newsletter da AUPPF é uma atividade mensal encaminhada para cerca de 45.000 endereços eletrônicos.

 

Ela contém atividades dos membros, como, por exemplo, livros e artigos publicados, atividades da AUPPF (como a RLPF) e eventos internacionais de interesse. Ela não anuncia eventos nacionais.

 

Para anunciar na Newsletter, os membros devem enviar anúncios para Manoel Tosta Berlinck mtberlin@uol.com.br ou para Ana Cecília Magtaz acmscaz@uol.com.br dizendo explicitamente que é matéria para ser publicada na Newsletter.


Portal

 

O portal www.fundamentalpsychopathology.org contém conteúdos da AUPPF

E de seus membros e é visitado por cerca de 45.000 ingressos mensais, de todas as partes do mundo.

 

Em 2011, ele passou por diversas reformas e sua administração, a cargo de Ana Cecília Magtaz, está mais ágil.

 

A inclusão de materiais no portal devem ser solicitadas.


Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental

 

A Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental estabelece complexa relação entre autores, leitores, agências de fomento e corpo editorial.

 

Há dois grandes desafios a serem enfrentados neste caso.

 

O primeiro diz respeito à qualidade dos trabalhos publicados na revista. Eles precisam melhorar tanto na relevância das pesquisas quanto em seu rigor. Os artigos recusados sofrem de três males: são repetitivos; contém afirmações ideológicas, ou seja, sem fundamento clínico e ignoram a literatura sobre o assunto, elegendo um único autor como referência.

 

O outro desafio é o de proporcionar que os artigos ali publicados sejam lidos e citados em outros trabalhos. A RLPF já tem 15 anos de publicação ininterrupta e contem um vasto repertório de artigos. Entretanto, eles são pouco lidos e citados por novos artigos que chegam à revista.

 

Apesar desses desafios, a RLPF é um periódico de alta qualidade e de livre acesso.

 

Por ser uma publicação de Psicopatologia Fundamental, é líder mundial nesse campo do saber.


Congresso Internacional e Congresso Brasileiro

 

O nosso Congresso está cada vez mais conhecido e procurado tanto por pesquisadores nacionais quanto pesquisadores internacionais.

 

O admirável trabalho de organização realizado por Ana Cecília Magtaz tem se refletivo na qualidade deste evento.

 

Desde o Congresso de Niterói, onde foram enfrentadas numerosas dificuldades, ele passou por grandes modificações.

 

O Congresso de Curitiba, ainda que tenha apresentado dificuldades, foi melhor organizado. Nele ficou decidido que ele não ocorrerá em universidades. Tal decisão facilita muito o planejamento e a organização.

 

O número de trabalhos apresentados será cada vez mais limitado. Pretendemos manter, por enquanto, uma meta de 450 trabalhos.

 

Neste evento foram recusados um pouco mais de 50 trabalhos, principalmente por falta de espaço. Mas, no próximo, a seleção dos trabalhos levará em consideração a qualidade.


Recursos

 

Pouco a pouco, os recursos da AUPPF aumentam.

 

Ela depende vitalmente das anuidades de seus membros, das assinaturas da RLPF e das inscrições no Congresso.

 

É claro que o apoio de agências de fomento é da maior importância. Sem ele não teríamos como subsistir.

 

Como os recursos são escassos, sua administração deve ser muito parcimoniosa.

 

Finalmente, a Fundação Manoel Berlinck continua aportando recursos que viabilizam a existência de nossa sociedade científica.


Conclusão

 

São esses, prezados sócios, os aspectos de interesse mais geral que queria apresentar a vocês.

 

Muito obrigado por sua atenção,

Prof. Dr. Manoel Tosta Berlinck

(Presidente da AUPPF)